Featured Slider

Não julgue o livro pela capa (do filme)! #3

Olha só o post que voltou! Eu já fiz duas versões desse tema aqui no blog, um de 2012 e outro em 2013. São dois dos posts mais lidos aqui do Mundo de Morfeu, então achei que seria legal fazer um terceiro com mais algumas comparações de capas originais com as adaptações cinematográficas desses livros.

Hoje em dia até encontramos algumas capas de livros com uma jacket/luva com a capa do filme, e é tão mais apropriado quando é assim. Porque é só retirar essa luva com poster de filme e jogar fora. Pronto, fica a capa original que todo mundo gosta! Mas muitas editoras ainda preferem recolher as edições originais e substituí-las por capas comercias, deixando assim muitos leitores putos bravos, como eu fico.

Podemos notar claramente que a capa original é trocentas vezes melhor, porque essa arte é da própria Cornélia Funke, lembrando as antigas iluminuras. Pra mim um dos maiores problemas da capa do filme é ser poluída demais, com muita informação. E, bem, eu tenho problemas sérios com pessoas em capas, então é obvio que posters de filmes estampados assim são uma tortura pra mim. Até hoje não tive coragem de assistir ao filme de Coração de Tinta. Gostei muito do livro e tenho pra mim que o filme não vai ser nada perto dele.

Vou confessar que eu tive um certo preconceito com o livro Perdido em Marte, por isso acabei só assistindo ao filme; que gostei muito, aí atualmente eu tenho uma certa curiosidade com o livro. =P Essa capa degradê de alaranjada para o vermelho com o astronauta na frente é muito bem feita; pelo menos com o filme me passa essa atmosfera mesmo. E temos o mesmo caso do livro acima: a cara da pessoa estampada - tá que é o Matt Damon, mas não engulo.  

Com Ensaio Sobre a Cegueira não tive contado com nenhuma das obras, por querer ler o livro antes do filme e, justamente, enrolar para fazer a leitura. Não que a capa-filme seja feia, pois não é, mas depois desses projetos gráficos para os livros do Saramago que a Companhia das Letras fez, não acharia nenhuma outra capa digna. 

Tenho problemas com pessoa na capa, contudo não se aplica com animais. Então com A Bússola de Ouro não tenho nenhuma objeção. Aliás, eu acho essa capa muito bonitinha; os outros livros da série continuam com o mesmo projeto gráfico, ficou bem legal. A capa-filme é simplesmente ruim por ser capa de filme, porém ela não é horrível, não.

Nessa ocasião também assisti apenas ao filme (mas ao contrário de Perdido em Marte, não tenho interesse nenhum no livro Como eu era antes de você). Mais um caso de pessoas na capa. Fora isso não vejo muita coisa de errado; só um pouco com o photoshop meio exagerado. Já a original é fofinha, bem atrativa pra quem gosta desse gênero de livro.

Uma exceção?

Me pergunto se essa capa do filme é tão ruim assim. Eu realmente acho que não. Mas ela seria melhor que a original? Também não sei. Como disse, não tenho problemas com animais em capas, sejam elas de filmes ou originais. E tigres são criaturas bonitas, concordam? Acho que a coisa que mais me incomodou foi terem mudado o título. O filme ficou "aventuras" em vez de "vida". Não que esteja totalmente errada, mas o nome original é Life of Pi, não é?... Enfim, com essa capa-filme não tive problemas e vendo a original, não achei ela tão impactante como a com o tigre.

E vocês, o que acharam da capa exceção?


Gostei de escrever mais um post com esse tema, espero que tenham apreciado também. :)




Coisas favoritas atualmente

Prometi a mim mesma que ia escrever e dar mais atenção ao meu bloguinho, pois tenho um carinho imenso por ele. Num post, relativamente antigo, eu falei que ia escrever o que eu quisesse, como um blog old school, então é isso que estou tentando fazer com ele, hehe.

Vou listar aqui (porque acho que vocês tão sabendo, eu ADORO listas) 5 coisas que eu gosto/estou gostando muito. São coisas totalmente aleatórias e acho que são mais hábitos (ou estão se tornando) do que objetos concretos em si, mas enfim. 'Bora lá!

  • Jogar Pokémon Fire Red/Leaf Green como se não houvesse amanhã. Já terminei mais de 15 vezes esse jogo, fácil (até mais que Child of Light que terminei 15, assim, certinho). E ultimamente estou numa pira de jogar jogar jogar, sempre tentando coisas diferentes; times de pokémons diferentes, fazendo as coisas em ordem diferente (na medida do possível). Consegui pegar meu primeiro cão lendário. \o/ Nesse momento, jogar Pokémon tem sido uma espécie de terapia pra mim.
  • Ficar até tarde assistindo vídeos antigos do meu canal preferido do booktube. Depois de terminar o que tenho que fazer (isso à noite, depois de jantar e tal), sento no pc pra dar uma olhada na internet, quando tenho certeza de que não precisarei me levantar por um tempo, fico assistindo aos vídeos antigos desse canal, me deliciando e lembrando essa época, em que os canais literários eram mais autênticos... Também posso dizer que é meio como uma terapia.
  • Ler/visitar blogs bonitos dos quais gosto em sua própria página. Parece estranho o que falei, mas hoje com o advento dos leitores de feeds (The Old Reader, Bloglovin', Feedly etc.) muitas vezes nem entramos na página própria do blog das pessoas. E tem vários que valem tanto a pena a gente apreciar o trabalho do layout, seja porque deu trabalho, seja porque ficou muito bonito. Acho importante dar atenção ao conteúdo, mas a estética do blog, quando bem feita, é algo a se valorizar também. 
  • Procurar e planejar sobre meu guarda-roupa e estilo de maquiagem que estou usando. Explicando melhor: estou mudando aos poucos meu guarda, meu estilo, também nas maquiagens e tal, então tenho ficado um certo tempo olhando inspirações em vários sites, blogs, canais do YouTube. Pensei seriamente que isso ia afetar minha ansiedade, mas não, tem me feito bem pensar com calma e sem afobação sobre isso.
  • Mudar algumas coisas na minha alimentação. Estou me sentindo tão bem em dizer que parei, definitivamente, de beber Coca-Cola. Fiquei um mês e pouco sem tomar, aí dia desses resolvi dar uma bebericadas e achei bem ruim. Então não vou mais tomar \o/. Além disso, estou diminuindo o açúcar. Gostaria de de diminuir o café também, mas esse é mais complicado hehe. Também tenho tentando consumir mais comida 'de verdade', mesmo quando saímos pra comer fora. 

Alguma ou outra coisa pode parecer começo de um vício (jogar e ficar no YouTube, por exemplo), mas juro que não. É mais uma fase mesmo. Daquelas que preciso focar em outras coisas pra não ficar meio louca. =P

E aí, o que vocês tem feito de bom?




A delicadeza de Kathrin Honesta

Conheci o trabalho de Kathrin pelo blog da Gabi Barbosa. Depois me deparei com as suas lindas ilustrações pelo We Heart It, Tumblr e até no Pinterest (que até tenho conta, mas nem uso). Simplesmente me apaixonei por sua expressividade e visual lúdico.

Kathrin Honesta tem 24 anos, é designer e ilustradora residente em Jacarta, Indonésia. Suas ilustrações são histórias sobre fé e pessoas. Ela percebe que uma obra de arte não é só sobre ser muito bonita esteticamente, mas é sobre a mensagem que ela passa.
It’s a necessity for me to express myself through all my personal projects. So I make time to do it. Sometimes, I sacrifice my sleep just to draw until 4 in the morning. Sometimes, I use my weekends to draw. But I love doing it. I feel creatively satisfied. (KH)

Tudo que ela coloca em suas ~telas~ são puramente suas experiências; o que aprendeu pelos anos, então há muito de autobiográfico em seu trabalho. 
As cores e os traços nos passam vivacidade, mas também delicadeza e escapismo, fazendo com que viajemos nas histórias contadas por meio de seus desenhos, que são belíssimos.













Uma jovem talentosa e doce que merece que seu trabalho viaje o mundo. 😊

Siga Kathrin para acompanhar seu trabalho inspirador: Behance; Site; Facebook; Instagram.




Aos sonhos um 'até logo'

Não me lembro quando eu deixei de ser sonhadora. 

Antes todo mundo me conhecia por ter sonhos demais e a cabeça na lua. A cabeça na lua eu ainda tenho, mas os sonhos, esses foram deixados para trás. E eu não sei onde tudo isso começou - ou terminou?

Sou muito mais

...que livros. Que leituras. 

Amo os livros como bons amigos e companheiros, mas não sou só feita de amor a eles.

Music to monday #21

Muitas pessoas fazendo maratonas, tentando assistir aos filmes do Oscar© antes do dia 26, quando acontece a 86ª cerimônia, e até agora eu mesma só assisti ao La La Land. E adorei! Ele está dividindo opiniões, mas no meu coração ele é favorito. Adorei mesmo tudo o que ele homenageia, aos musicais antigos e ao jazz. Para mim o filme se encaixou tão bem no que se propõe. Porém a quem diga que não mereceu as 14 indicações ao Academy Awards

Well, se mereceu ou não, não vem ao caso, o que importa aqui nesse post é que a música tema, City of Stars é o retrato da simplicidade e poesia desse filme. Um quê de jazz e ao mesmo tempo nos relembra aos musicais das décadas de 40-50. Belíssima.

Estou viciada na música, e acho que você deviam dar uma chance a ela também (e ao filme, claro). 😉


A look in somebody's eyes
To light up the skies
To open the world and send it reeling
A voice that says, I'll be here
And you'll be alright




Mais 6 livros para ler em 2017

Eu gosto de fazer meta? Gosto. Eu as cumpro? Quase nunca. Mas a tentativa me instiga e eu gosto de tentar, mesmo que não dê certo. Penso que se eu sempre insistir, alguma hora eu vou conseguir cumprir metas e fazer os projetos direitinho.

Uso muito a meta do Skoob para organizar os livros que pretendo ler no ano. Quando fiz o vídeo apresentando os 6 clássicos para 2017, os coloquei na meta no site, mas achei que ficou um pouco ~vazio~ demais. Refletindo sobre quantidade de leitura, resolvi pelo menos por mais seis títulos nessa meta. Seis livros que quero muito - mesmo! - tentar ler esse ano. Conseguirei? Não sei, mas vou tentar, de verdade. Os 6 clássicos é meu foco principal, mas em meio a eles eu, obviamente, pretendo ler outras coisas, então coloquei seis outros livros que já quero ler há muito tempo, completando assim, 12 títulos na minha meta anual.

Vou mostrar um pouquinho eles pra vocês. :)

Music to monday #20

Segunda-feira. Não sei viver para segundas. Realmente não sei. Mas para isso eu tenho essa solução: post com musiquinha para animar uma tarde segundística (inventei essa palavra agorinha e ficou estranha, haha). E fazia uns meses que não colocava nada de música aqui, então...

Quando fiz a playlist Minhas 100 músicas preferidas de todos os tempos, resgatei muita música e bandas que não escutava há um certo tempo. Com isso me lembrei que gosto muito de Everybody Wants To Rule the World do Tears For Fears. então a coloquei na lista, só que não tinha me tocado de mais músicas deles. Aí eu assisti um vídeo da Chez Noelle, e nele ela fala de trilhas sonoras de filmes, citando Donnie Darko. Então descobri que Head Over Heels (que está na trilha do filme citado) também era uma música que eu adorava, mas não lembrava que era dessa banda. xD
Bom, ela é a minha escolha pra hoje.

Fiquei um bom tempo ouvindo só essas músicas, só escutando Tears for Fears. Fui percebendo como gosto muito de músicas dos anos 80 e que elas me trazem uma nostalgia gostosa. ;)


Something happens and I'm head over heels
I never find out till I'm head over heels
Something happens and I'm head over heels
Ah don't take my heart, don't break my heart
Don't, don't, don't throw it away